sábado, 16 de junho de 2012

Couscous Marroquino: leve, saudável e vicia

Há uns 2 anos atrás conheci o couscous marroquinho que hoje faz tanto sucesso. Naquela época eu não ouvia nem falar disso e quando vi em um cardápio do Tanger (um restaurante marroquino aqui de São Paulo) confesso que não me interessei. Era um frango recheado com queijo e banana acompanhado de couscous. Mas como frango com banana me parecia demasiado apetitoso, resolvi dar uma chance.

De fato o prato é incrível, mas me surpreendeu aquela “farofa molhadinha” de sabor delicado que equilibrava e refrescava.

Em um segundo momento fui ao Almanara e pedi uma kafta e uma porção de couscous. Aí sim passei a amar de verdade! Era uma saladinha de tomate, rabanete e uvas passas com couscous super leve, mas viciante. Se eu sento nesse restaurante nem preciso de cardápio, couscous marroquino é obrigatório.

Pesquisei em livro de receita, em blogs, sites e tal, mas nenhum parecia com aquele, até que achei a receita cedida pelo próprio restaurante em uma reportagem da UOL e lóóógico que precisava testar!
Chega de enrolação, segui a receita abaixo para 2 pessoas e não sobrou nem o cheiro!

Para o Couscous:
  • 1/2 litro de água
  • 1 colher (sopa) rasa de manteiga
  • 2 colheres (chá) de sal
  • 1/2 xícara (chá) de couscous (comprei o da Casino)
Ferva a água e acrescente todos os outros ingredientes, fique mexendo por um minuto (exato) e escorra com ajuda de uma peneira. Leve para a geladeira para estar fresquinho na hora de servir.

Para a saladinha:
  • 1 xícara (chá) de tomate fresco sem casca e sem semente picado em pedaços médios. Tipo 1,5cm, mas também não precisa ficar tudo igual. Só não é bom deixar muito pequenino.
  • 2 colheres (sopa) de uva-passa branca
  • 1 colheres (sopa) de uva-passa preta
  • 1 colher (sopa) de salsinha picada grosseiramente
  • 1 colher (sopa) nozes (comprei nozes pecan e piquei grosseiramente com a faca. Depois do couscous pronto achei que tinha sido muito pouco e coloquei mais meia colher de nozes)
  • 1 colher (sopa) cebola, e essa sim picada muito pequena
  • 2 rabanetes (o rabanete a gente corta ao meio e depois fatia fininho para que saia em formato de meia lua)
Misture tudo em uma tigela e leve para a geladeira também.

Para o tempero:
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colheres (sopa) de limão
  • ½ colher (chá) de sal
  • ½ colher (chá) de pimenta do reino, de preferência moída na hora (a receita original pede pimenta branca, mas eu não tinha no momento e foi da preta mesmo)
Coloque tudo em um vidrinho com tampa (esses de geléia, por exemplo, são uma mão na roda nessas horas) e agite bastante, por mais ou menos 1 minuto. Quando estiver no ponto, o aspecto vai ser mais leitoso e não vai haver separação entre o óleo e o limão.

Finalizando: junte a salada, o couscous e o molho e misture bem! Sirva e enfeite com umas folhinhas de hortelã que dão um charme.

Combine com alguma coisa de gosto mais forte como um frango grelhado bem temperado ou kaftas. Eu comprei umas kaftas prontas em um hortifruti perto de casa e assei numa churrasqueira elétrica. Foi um sucesso absoluto e eu poderia dizer que não vi nenhuma diferença entre esse couscous e o servido no restaurante. Ok, 2 diferenças: o nosso ficou muito barato (ponto positivo ) e nós tivemos que lavar a louça (ponto sofrido ).

 


4 comentários:

  1. Nunca comi, mas já fiquei com vontade de experimentar! :)

    ResponderExcluir
  2. Couscous é legal! É uma ideia muito boa para quem já está do trio arroz, pão ou batata.

    ResponderExcluir
  3. Humm, ótima receita! Quero testar ;)

    ResponderExcluir
  4. Nossa!!! Essa Salada!! deu muita vontade de comer só pela foto dela!!!

    ResponderExcluir